10 de mar de 2010

Desconectada


     Ontem, devido a uma oscilação na energia elétrica, percebi que o modem (aquela peça básica e indispensável para dar acesso à navegação) havia desconfigurado e me vi sem internet. Fiz inúmeras tentativas em busca de resolver o problema, mas sem sucesso. Meu filho vive me dizendo que devo comprar um estabilizador, só agora entendo a sua utilidade, por que não dei ouvidos a ele?  E bem agora que eu queria postar um artigo no meu blog, meus leitores vão ter que aguardar (que chic, “meus leitores”).
Nesse momento estou no aguardo da assistência da operadora de telefone que ficou de entrar em contato em nada menos que 24 horas, então se não dá para navegar, vou escrever.
     Estou aqui matutando um tema, mas fico assim perdida, inconformada por estar desconectada com o mundo. Nessas horas meu twitter já deve estar abarrotado de posts, hoje com certeza o povo não está mais falando do Oscar 2010, da desbancada que o filme Guerra ao Terror deu em Avatar. E no meu Orkut os recadinhos que gosto tanto de receber devem estar lá esperando resposta. No msn, meus amigos estarão certamente sentindo minha ausência, será? ( não vou me estender nesse item, o texto ficaria por demais longo e provocativo) mas eu com certeza estou aqui numa silenciosa letargia.
     Vinte e quatro horas é tempo demais para quem está acostumado a num clic interagir com o mundo. E pensar que até há algum tempo (muitos anos) me comunicava por cartas que levavam em média 3 a 4 dias para serem entregues. A notícia alegre, tinha o seu tempo para ser festejada e a triste, para ser chorada. Hoje quero respostas imediatas e soluções mágicas.
     A vida é mais do que correr atrás do tempo, é para ser vivida intensamente, ainda mais agora em que ela passa no ritmo alucinante dos e-mails e não mais na morosidade das correspondências envelopadas.
     Quero voltar ao mundo logo!

Um comentário:

Pituca disse...

Que bom que vc voltou!!!!Faz falta por aqui
pituca