1 de mar de 2010

Por que Eterno?

     Como é difícil definir em poucas e simples palavras o que consideramos eterno numa pessoa. Mas quando conheço alguém, procuro imediatamente observar o que ela transmite de bom, de positivo, pois isso é o que caracteriza a sua personalidade. A aparência não me toca em nada, não me impressiona, isso um dia desaparece, mas a essência permanece, pois é o que dá sentido à vida.
     Observo, com pesar, que o consumismo exacerbado tem levado as pessoas a uma competição quase mórbida pelo status. A chave do carro importado, ou o que o valha, o mais novo lançamento de celular, os note e os net books, isso tudo tem sido o cartão de visita para ser aceito num determinado meio. Não que essas coisas sejam desnecessárias, meu PC, por exemplo, está pedindo aposentadoria. Claro que temos que acompanhar a evolução dos tempos, mas o que me incomoda é a super exposição como sinal de “muito prazer, eu posso tudo”.
     Quem sabe um dia vou poder dizer que os que estão ao meu lado são apenas aqueles que tem muito de eterno dentro de si! Oh! Quimera!

Um comentário:

Fernando Fonseca disse...

Néia, parabéns pelo blog, adorei teu texto, tua narrativa é sensacional. Espero ler mais coisas por aqui.