14 de mar de 2010

Redes Sociais


     Final de semana em casa, nada de interessante para fazer, nenhuma visita para alegrar o dia, o tempo demora a passar, parece até que a terra gira mais lentamente. Nessas horas, televisão tem sido uma opção desastrosa de entretenimento, sinto dificuldade em acompanhar a atual programação baseada em realitys shows, novelas e alguns programas de humor que tentam nos enfiar goela abaixo, a falta de criatividade é que acaba ficando estupidamente cômica. Também não consigo aceitar um outro fato, que famílias inteiras, da criança de colo à vovó façam parte do público espectador de um programa como o BBB, essa é uma triste cultura! Esse assunto, certamente, irá render ainda um outro texto. Isso explica meu interesse pelas redes sociais que já fazem parte da minha realidade cotidiana, elas tem se apresentado como as maiores concorrentes da televisão.
     Com a interatividade proporcionada pelo twitter, Orkut, blog e outros, tenho condições de me manter atualizada desde que eu saiba, conscientemente, fazer bom uso dos mesmos. Um dos aspectos interessantes é o poder do feedback proporcionado pelas redes. Uma idéia, um produto, uma opinião, tem uma resposta instantânea do público, viabilizando assim qualquer atividade. A ausência de intermediários é o que mais atrai nesse tipo de comunicação fazendo com que as empresas cheguem diretamente ao consumidor. Nao estar inserido nessa realidade é ficar fatalmente fora da concorrência de mercado.
     A evolução dos meios de comunicação virtual tem sido espantosa e quem não se adequar a elas, com certeza, estará desligado do mundo e das suas novidades. A inserção de um público de maior idade fazendo uso da internet cresce a cada dia (me incluo nesse item). Há de se lembrar, as pesquisas mostraram que navegar estimula o cérebro aumentando a capacidade de raciocínio, um ótimo motivo para persistir nessa prática.
     Voltando ao contexto inicial (domingo em casa), as redes sociais acabam se tornando um instrumento de sociabilização mesmo que à distância, pois sempre haverá do outro lado alguém com quem eu possa conversar e salvar assim, meu dia da solidão.


Nenhum comentário: