8 de mai de 2010

A formiga do Quintana


     Ensimesmada em busca de inspiração diante da tela hostil e silenciosa do computador, o que me vem logo à memória é a tão famosa formiguinha do Mario Quintana. Conta-se que num momento de aridez poética, quando nada vinha à sua mente, viu então a alvura da sua folha de papel ser maculada por uma pequena formiga. Esse detalhe tão minúsculo o inspirou na criação de uma linda poesia.
     E a mim, o que poderia aguçar os neurônios da criação e levar meus dedos ao teclado ansiosos em digitar? Formigas? Tenho-as todas por aqui, tamanho P, M, G de várias cores e com todas as dores que possam causar, porém com o andar ligeiro passam ao largo sem deixar vestígios e muito menos ideias. Por andará aquela que dadivosamente salvou o poeta? Isso suscita uma inquietação, faz-me pensar que a mente sempre foi um enigma, precisa ser cuidada e exigida para não se tornar artrítica. Escrever pode uma forma de mantê-la viva e não deixar ruir a noção das coisas e do tempo.
     Perdendo-me nas horas, lembrei-me desse poema:

O tempo (Mário Quintana)

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Um comentário:

HD disse...

As irmãs mais belas da family(Suely e Célia), ou seja, quase um pleonasmo, estamos espantadas de tanta cultura de nossa tia, e que paira em nossas mentes um questionamento, de onde vem tanta inspiração? Neia adorei o seu blog. Bjs da célia