10 de ago de 2010

Segredo?

Da discrição (Mario Quintana)

Não te abras com teu amigo
Que ele um outro amigo tem.
E o amigo do teu amigo
Possui amigos também...

     Não reparem se estou novamente trazendo palavras do Quintana, que posso fazer se ele retrata nesses versos e em tantos outros exatamente aquilo que penso?
     Pois é, o poeta não ousa falar de si aos seus amigos, sábia atitude! Será segredo apenas aquilo que não foi contado, uma vez dito, jamais guardado! Isso me fez lembrar da brincadeira do telefone sem fio, é exatamente o que acontece quando um ocorrido é propagado, ao final tanto enredo será acrescentado que a história tomará rumo inesperado - deu até rima - é a eterna tendência ao excesso.
     Compartilhar confidências é saudável, em algumas situações até mesmo confortante, desde que não seja necessário pedir segredo, senão...triste sina!
     Melhor é refletir as palavras de Molière: “Convém em certas ocasiões ocultar o que se traz no coração”.


4 comentários:

Meri Pellens disse...

É verdade, segredo só é segredo enquanto só nós mesmos guardamos, uma vez confiado a alguém, já era.
Beijos na alma!

Lúcia Soares disse...

Néia, obrigada por seu comentário no meu blog.
Na realidade, meu desabafo é mais de cunho pessoal, nada contra a blogosfera, nem comentários de mais ou de menos, mas apenas falei o que me veio.
Depois volto pra ler mais!
Bj

Pituca disse...

Sábia Neia!!!tenho muito a aprender com vc. bjbj

Anônimo disse...

Perfeita e verdadeiras palavras!!!!!
Às vezes é melhor saber calar-se
Bjo Pá