17 de ago de 2010

Voar...voar...

“... subir, subir, ir por onde for
descer até o céu cair...
O que sai de mim
Vem do prazer
De querer sentir
O que eu não posso ter
O que faz de mim
Ser o que sou
É gostar de ir
Por onde, ninguém for...
...ir até que um dia
Chegue enfim
Em que o sol derreta
A cera até o fim...”
(Byafra)

     Esses versos, muito bem cantados pelo próprio autor, trazem nas entrelinhas o sentido da real liberdade, aquela desejada por todos, mas que poucos sabem como ela é de fato.
     Ícaro, ao ser dotado de asas, não se conteve diante da perspectiva de ir mais além, subiu a ponto de se esquecer dos raios de sol aquecendo e derretendo a cera que colava suas asas. Junto consigo vieram ao chão todos os seus sonhos terminados, repentinamente, por sua insidiosa imprudência.
     Quem já não colocou suas asas em risco, que atire a primeira pena! Há uma ânsia em sair do maior cativeiro que são nossas próprias limitações, sejam elas pessoais, psicológicas, profissionais, intelectuais e outros tantos ais. Para sair da clausura é preciso sonhar, com os pés sempre fincados no chão, é bom lembrar, tentar vencer por seus próprios meios sem jamais transgredir o protocolo da vida.
     E o que falar do amor e da paixão que também costumam voar alto, subir além e obscurecer a razão? Nesse caso, Deus concede a alguns - poucos - um favor supremo, cautela e sensibilidade para irem apenas onde o sol não derreta a cera até o fim!

2 comentários:

HD disse...

oie Néia!!!
Mudou o layout do blog? Ficou lindooooo
beijos
Suely

Pri disse...

Liberdade????

"Liberdade na vida é ter um amor para se prender! " - Carpinejar