15 de set de 2010

Deixando marcas

     Percorri cerca de 20 quilômetros com uma mancha branca tomando parte da minha pista, estendendo-se no asfalto quente e ofuscante pelo sol da tarde. A cada curva achava que a perderia de vista, que nada! Serpenteando, continuava ininterrupta, certamente, era pó de calcário que caíra de algum caminhão com falhas na vedação em sua carroceria, o que é muito comum nas rodovias aqui da minha região, essencialmente agrícola.
     O motorista deveria estar extremamente distraído ao permitir que sua carga se esvaísse daquele jeito ou então, como não era do bolso dele que estava saindo o prejuízo, resolvera continuar sua viagem, sem maiores delongas, deixando assim um longo rastro denunciando sua direção.
   Sentindo uma vaga inquietação por aquele descaso, acabei refletindo sobre as marcas que, voluntariamente ou não, deixamos ao longo da nossa estrada. Normalmente os atos ilícitos, indignos e os erros berrantes, são os que deixam mais visivelmente seus sinais, perceptíveis até mesmo aos olhos mais distraídos. Já os atos de bondade, caridade, os favores ilimitados, a educação e a discrição ficam marcados suavemente, tão de leve que é preciso uma visão apurada para percebê-los. Praticar virtudes desinteressadamente consiste, acima de tudo, em não esperar reconhecimento, o que nem sempre acontece, visto que muita gente quer mesmo é fazer acontecer e aparecer, ainda mais em época de eleição onde o que pode mais é aquele que está em evidência. A esses tenho a oferecer apenas o meu indefectível voto de desprezo!O que me faz sentir, de fato, um deleite sem igual é estar diante de algumas criaturas que apesar da grandiosidade e importância, mostram-se quase invisíveis de tão simples e discretas. Estão sempre presentes, mas sem exibicionismos e com uma auréola de doçura sobre a cabeça, tornam-se inesquecíveis, pois gravam suas marcas no lugar certo, no coração da gente!




5 comentários:

Denise Portes disse...

Essa é a marca que quero de todas as pessoas que para mim são importantes, no coração, sempre. Lindo texto.
Um beijo
Denise

Meri Pellens disse...

Gosto tanto dos seus textos. Interessante é que nem sempre percebemos que marcas deixamos, pois vão ficando para trás... Queria deixar marcas boas sempre...
Beijos na alma.

Wilma disse...

As marcas boas que ficam é que nos surpreendem com o passar do tempo, nos fazem tão bem...Um ótimo fim de semana!!

Braulio Pereira disse...

adorei ler seus textos

adoro palavras aqui encontrei um mar delas


abraço!!

HD disse...

Olá Néia!!!!
Que bom receber sua visita em meu blog. Sempre será MUITOOOO bem vinda.
beijos
Suely