18 de set de 2010

Instinto natural

     Um dia desses ouvi minha amiga e vizinha pedindo socorro, alguns pássaros - pardais - atacavam o seu cãozinho que, de tão minúsculo, parece mais uma amostra grátis. Ele é um pincher e como essa raça costuma ser classificada por número para definir seu tamanho, penso que esse pequenino, por seu porte, seja alguma coisa muito abaixo de zero.
     Whisky é seu nome, um tanto original, mas se ele fosse meu bichinho de estimação certamente eu o chamaria de Beer, estaria assim mais de acordo com a minha suave preferência, nada contra os destilados.
Brincadeiras à parte, o ocorrido foi muito interessante e sério, pois um filhote de pássaro, com um jeito ainda desgracioso, caído antes da hora do ninho, apareceu em seu quintal e como todo cão, desejoso por distração, Wiskynho - como é chamado pelos mais íntimos - com ar atrevido, saiu em perseguição ao penoso. Dois pardais adultos, certamente os pais, saíram em defesa do seu pequeno que ainda não sabia voar. Com bicadas certeiras avançavam ferozmente sobre o cão tentando afastá-lo da vítima, esta por sua vez arrastava-se de um lado para outro na ânsia em proteger sua vida.
     Whisky carente de companhia estava apenas querendo brincar, vendo-se acintosamente atacado e transido de medo, nem pensou em dar ares de ferocidade, tratou mesmo foi de correr para os braços de sua dona, deixando claro não ter nenhuma vocação à cão de guarda, sua tarefa ali é apenas amar e ser amado.
     De cima do muro eu dizia à minha amiga - já ansiosa e com o suor brotando pelos poros - que pegasse o passarinho desgovernado, dessa forma o colocaria no meu quintal, assim os ataques cessariam. Após a cansativa captura, aliviada, deixou-o em minhas mãos, nesse instante eu que até então estava me divertindo com toda aquela cena, não achei mais graça nenhuma, passei a ser o alvo dos pais desesperados que viam em mim mais uma algoz perseguidora do seu filhote. Com voos rasantes, tomado por uma fúria visceral, pardal pai roçava minha cabeça mostrando estar atento ao menor gesto da minha parte, foram-se os caracóis dos meus cabelos!
     Com um suspiro de alívio soltei o bichinho no chão, a paz então voltou a reinar e uma alegria infinita parecia tomar conta daquela pequena família, com suas asas se aconchegavam prazerosamente, uma cena que merecia ter sido registrada.
     Bom seria se os humanos também cuidassem assim, resolutamente, de sua prole. No entanto a realidade é outra, muitas vezes jogam seus recém nascidos pelas latas de lixo do mundo, sem o menor constrangimento e com uma frieza de caráter sequer se lembram que aqueles banidos saíram das próprias entranhas. Enquanto isso pequenos pássaros deixam explicito que a preservação da espécie passa necessariamente pelo cuidado, proteção, carinho.
     Sabiamente nos mostram que devemos socorrer e auxiliar incansavelmente os filhos, mas somente até o momento em que já puderem voar sozinhos. Assim, isentos de qualquer super proteção, estarão, com absoluta segurança, aptos a se defenderem de todas as intempéries da vida.




5 comentários:

Meri Pellens disse...

Mas o que aconteceu depois com o filhotinho? Sobreviveu no chão?
Beijos na alma, querida, e bom fim de semana!

Denise Portes disse...

Ser mãe, de verdade, muda o foco de tudo.
Beijo
Denise

Lúcia Soares disse...

Uma cena a ser filmada, certamente, Néia.
Seu post foi muito bom, sério e bem humorado ao mesmo tempo.
Os animais sempre nos dão boas lições, seja de qual espécie são.
Adoraria ter visto a cena! rsrsrrs
(sei que na hora do ataque ao pobre cãozinho não deve ter sido nada engraçado!)
Bom domingo!

Dandara disse...

Néia, lindo post adorei! rsrs
Aquele dia foi muito engraçado exatamante como vc escreveu, uma grande correria.... eu não sabia quem salvar primeiro, o pobre filhote q corria de um lado para o outro desamparado ou então o Whiskynho tbm sem rumo q estava sendo atacado por outros pardais.
Me diverti muito lendo..rsrsr. Como aquelas figurinhas te renderam um belo post.
bjos

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Eu gostei do tema sério aliado com bom humor!
o post está muito bem escrito.

e o filhotinho está bem?
bjs bom dia