18 de out de 2010

Renascendo


A ausência de palavras escritas
me fez sentir por uns dias
um melancólico vinhedo retorcido.
Hoje já vejo em mim
folhas verdes brotando
a vida com frutos renovando.
Aprendi que não é preciso
atropelar as estações,
tudo tem o seu tempo.
Os dias e as noites sabiamente
fizeram dos galhos ressequidos
uma seiva mágica escorrer.
Voltam minhas meras sílabas
emprestando suavidade à minha rústica vida.
Mando embora o gosto amargo do fel.
Prefiro o poder das ideias
que trazem aos meus dias
uma doçura comparável à do mel.





Direitos Reservados

7 comentários:

Denise Portes disse...

Néia querida
A doçura das suas palavras se esparrama pela tela e toca o coração de quem vive distante. Essa é a magia dos poetas.
Beijo
Denise

Milton disse...

Lindo seu blog.

Enlaçe exuberante entre textos e imagens. Uma verdadeira viagem pela alma sonhadora de uma poetisa.

Parabéns!

Pelos caminhos da vida. disse...

Doce suas palavras.

Obrigada pela sua companhia.

Uma boa semana pra vc.

beijooo.

Meri Pellens disse...

Querida, que seu dia e sua vida sejam repletos de frutos saborosos de amor, alegria e paz.
Beijos na alma!

Chica disse...

Que lindo renascer pelas palavras doces como mel...beijos,tudo de bom,chica

Daise Mariza disse...

Muito lindo seu espaço.
Obrigada pela visita.
Fique na Paz de Jesus

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!

Julgo ser a minha 1ª visita.

O seu blog é variado e interessante.

Saudações poéticas