13 de nov de 2010

O intangível que há em nós

   Ao escrever um texto tenho o hábito de desenvolvê-lo a partir da idéia principal, somente após a conclusão é que dou o título. Hoje saí da rotina, dormi e acordei com a frase que encabeça esse post me martelando os miolos e não há como deixar de falar sobre isso.
     O intangível é o que há de mais bonito no ser humano, pois a princípio é o que lhe concede uma beleza pura, imaculada, visível apenas a quem é capaz de olhar com o coração.
     A natureza nos dá lições esplendorosas, aqui no Sul quem tem o privilégio de um espaço em seu quintal certamente possui uma videira, tenho um verdadeiro fascínio por essa planta que nos ensina que as aparências enganam e que na vida é preciso ter paciência e esperar o momento certo para cada coisa. Há uma época em que necessita ser podada e com um aspecto ressequido faz de conta que a vida ali não mais faz morada, mostrando-se feia e enrugada, quem não a conhece nenhum valor lhe concede. Depois de um tempo de repouso, renasce em brotos e florada, enche-se de vigor e exibe seus frutos em fartos cachos.
     Assim são alguns seres humanos, à primeira vista podem não demonstrar suas qualidades, trazem algumas marcas deixadas pela dor, desamor, seja o que for. Com ar sombrio e rostos frios nunca marcados pela emoção, causam em alguns momentos repúdio e aversão. Com uma atenção mais medida e uma alma desprovida de vaidade será possível perceber que ali a vida também poderá florescer e frutificar, faltando-lhes quem sabe apenas uma oportunidade.
     As vilanias existentes em nós é que diminuem a visão real que deveríamos ter das pessoas. Deixássemos de lado nossos olhares severamente endurecidos e enxergássemos apenas com a força da alma, captaríamos assim o que há de melhor nos outros e que nem sempre se faz revelar.
     Por trás de uma pele manchada e mal cuidada, pode-se encontrar uma alma limpa e delicada, sejamos mais cuidadosos com o nosso olhar.




40 comentários:

Denise Portes disse...

Néia,
Esse, “julgar a aparência” é um aprendizado constante. Quanto mais puro o coração, maior a entrega para conhecer o coração do outro. Seu texto me fez pensar além, afinal é o que fazem os bons textos. Será essa a magia dos encontros virtuais? Onde não vemos o outro, apenas lemos suas palavras e a traduzimos em nosso coração?
No meu caso, nunca coloquei uma foto no meu blog. Eu vou te revelar um segredo, eu adoro ser um mangá rsrs. Essas carinhas de mangá, de um desenho japonês, sempre me encantaram. Eu acho que eles têm uma cara intensa e pensativa. Serei eu uma pessoa assim? Acho que sim.
O fato é que no mundo virtual não podemos julgar o outro pela foto, mas pelo que seus textos, poesias e histórias nos transmitem.
Você, para mim, tem a mesma intensidade que eu vejo em sua foto. Nossos mundos são diferentes, moramos distante, mas nos encontramos no mundo da sensibilidade. Esse lugar cada vez mais é o único lugar que acredito. Hoje depois de várias trocas de comentários entre nós, quando escrevo algo importante pra mim, penso em algumas pessoas que eu gostaria de mostrar, entre essas pessoas já existe você. Eu gosto muito dessa troca.Diante dessa carta, não precisaria dizer, mas digo: adorei o texto.
Beijo
Denise

Chica disse...

Um sábio e lindo mergulho nesse teu texto fizeste...

um beijo,lindo fds e tudo de bom,chica

Taia Assunção disse...

Lindo texto. Realmente devemos olhar as pessoas com o coração, tentando captar o que há de bom. Infelizmente muitas vezes damos mais valor aos defeitos...como se fôssemos perfeitos. Bela reflexão. Beijocas e bom final de semana.

Isadora disse...

Oi Néia que post maravilhoso. Gostei muito da analogia feita entre a videira e as pessoas. Há de se ter paciência sempre conosco e com o outro e aprender a termos um olhar menos endurecido. Todos carregam consigo boas coisas.
Um beijo

Carla Farinazzi disse...

Linda comparação com a videira (que aqui chamamos de "parreira")!
Eu lembro das rosas que têm no meu quintal, e por mais que me doa, tenho que podá-las para que renasçam com mais vigor e mais beleza.
Conosco também é assim... às vezes a vida nos poda para que renasçamos outros. Mais fortes e mais belos. E justamente por isso, merecemos ser olhados com os olhos da alma.
Pra realmente ver...
"O essencial é invisível aos olhos", Saint-Exupéry.

Beijos, minha querida

Carla

Kell Alves disse...

Seus posts sempre tão lindos, sinceros e tocantes.
É raro ver alguém q vê o mundo com os olhos de quem observa. Parabéns por isso!

Eve disse...

Seus textos são sempre maravilhosos e esse, hein?
As pessoas tem suas cascas e sao poucas que conseguem enxergar através delas. As vezes, nem a própria pessoa consegue mais.
Até que um dia, o coração desafoga, as mágoas diminuem (ou nao) e passamos a ver com os olhos da alma.
Bjs e bom feriado!

Pri disse...

"O intangível que há em mim"...uaaauuu!!! É muita criatividade e sabedoria dessa tia/prima! Eu só conseguiria escrever "O que não me toca".rsr
Lembro-me do Pe. Fábio de Melo quando canta:
"Sou humano demais pra entender
Este jeito que escolheste de amar quem não merece...
Não sei bem se Te conheço
Tu enxergas o profundo
Eu insisto em ver a margem
Quando vês o coração
Eu vejo a imagem"

Olhar a essência no lugar da aparência é um dom precioso que peço a Deus.

Beijos
Da sobrinha meio rebelde
PRi

Zéza disse...

Oi querida! Esse é o perigo dos julgamentos apressados... o inverso, também é verdadeiro! Alguém lindamente enfatiotado, mas por dentro é "pão bolorento"! Obrigada pela visita e a oportunidade de poder ler tão belas palavras! Bom final de semana prolongado! Beijos azuis!

Gracinda disse...

Néia, muito obrigada por sua amável visita! Seu blog é muito bom... esse post de hoje está especial! Temos muito em nós que não fica visível à primeira vista... é nossa Imagem Verdadeira que floresce aos poucos! Acabo de atualizar e estou te esperando! Bom final de semana! Paz, Luz e Harmonia!

Daniele disse...

E viva Deus que nos deu os dons!
Agora sou eu que digo...se eu tivesse 10% da tua capacidade de escrever, publicaria um livro.

Intangível, fiquei imaginando o que seria, antes de mergulhar na leitura.
O ser humano é complexo, difícil de decifrar e o melhor que se faz, é compreender e aceitar.
Aceitar o outro como ele é, é entender que não somos iguais.

Bj grande

Nilce disse...

Néia, que reflexão maravilhosa vc me fez fazer.
Muito bom querida.

Bom domingo e feriado para você.

Bjs no coração!

Nilce

@Flafli disse...

Néia... como sempre seus textos são impecáveis!
Vc se inscreve em concursos literários? Deveria fazê-lo!

Inspiração é assim mesmo vem de qualquer jeito... em qualquer lugar... outro dia vi pela web uma entrevista da Clarice Lispector dizendo que tinha sempre um caderninho de anotações... os textos não marcam hora para aparecer...

Pituca disse...

Como é bom chegar aqui. A gente sempre sai melhor do que quando entrou.bjs

Maria Célia disse...

Ei Néia
É claro, que não vou deixar de visitar seu blog e de comentar, só por que você não retirou a verificação de palavras.
Seus textos como sempre muito bons, nos levam a pensar, fazendo-nos usar nossa massa cinzenta.
Adorei.
Bjos e boa noite.

Leo disse...

Que bela reflexão, é por isso que gosto tanto de ler Exupéry, ele sempre nos mostra que o essencial é aquilo que não vemos.


O intangível só pode ser tocado a partir dos sentidos do coração.

Parabéns pelo blog e pelos maravilhosos textos inteligentes e filosóficos.

Te beijo. Te sigo.

so sad disse...

o ato de julgar em si já impoe limites e regras.
piora quando nem conhecemos alguém.
mas as vezes uma primeira impressao pode nos colocar num caminho certo...
como vamos saber?

Meri Pellens disse...

Concordo plenamente. Quantas vezes não é nossa própria malícia que não nos deixa ver o lado bom dos outros, né?
Beijos na alma, querida!

Irene Moreira disse...

Néia
O Intangível levou-a tecer uma malha fio por fio que nos levou a refletir no que fazemos até sem perceber. Neste mundo violento que foge a tudo que aprendemos nos leva,em forma de proteção, a nos afastar daqueles que não conhecemos. Julgar uma pessoa pela sua aparência, se fastar por repúdio é uma forma de preconceito. Procuro me controlar e deixar me levar pela força da alma e concordo com você que o caráter, a bondade não está na aparência externa e sim no seu interior.

Muito bom estar aqui e ler seu texto.

Beijos e uma boa semana

Dora Regina disse...

Obrigada! Amei as visitas e as palavras gentis.
Esteja a vontade e volte outras vezes, para mim será sempre um prazer.
♥.•:*¨¨*:•.♥ Boa Semana! :-) ♥.•:*¨¨*:•.♥

Ronda disse...

oi Néia,
Enxergar além da aparência exterior é muito importante. Eu tenho a impressão que é isso o que acontece nos blogs; o que mais importa são as idéias e quais os princípios de cada blogueiro. Aqui podemos enxergar um pouco além.
Abraços!!

José Sanches disse...

Nossa!!! Você fez um texto com o glamur de uma parreira. O ignorante não a sabe, o tosco não a reconhece, mas o sábio abraça o seu tronco a qualquer época. Muito linda esta comparação!,
E no final da tua frase mora a pura verdade da nossa distração e compreensão.
Outro fato: gostei das frases que escreveste no perfil; é algo que me deixa curioso e ao mesmo tempo me fascina. [a personalidade de cada um pode estar dentro da forma de escrever].
Se me permite, sem rasgar ceda. ajo muitíssima sensata. É algo que não se pode escolher ou esconder, portanto, vivo meu martírio ou busco meu desconhecido.

beijos!...

Karine disse...

Néia. teus textos são fantásticos.. nos levam a refletir..
Sabe que tanto falamos as pessoas nos julgam antes de nos conhece, mas fazemos o mesmo com os outros, só não nos damos conta... é como vc disse pra sermos mais cuidadosos com nosso olhar..

Quanto a videira ou parreira... acho linda tb, meus avós tinham uma enorme e era tão gostoso comer as uvas tiradas na hora.. uma delícia.. vc fez uma comparação muito sábia...
Bjos querida e uma ótima semana...

orvalho do ceu disse...

Oi, Néia
Voltei da roça e capto melhor o que vai de bom no outro... como vc nos sugere em seu lindo post... para isso é preciso desconcentração de nós mesmos...
Espero que vc tenha tido dias felizes quanto aos meus...
Fique com Deus,tenha paz e amor!!!
Bjm

Mar disse...

Gracias por tu visita a mi blog y tus bellos comentarios.

Seguimos en contacto.

Saludos.

Denise Portes disse...

Néia,
Quando li seu comentário de hoje fiquei pensando que você deveria escrever algo sobre as lembranças. Tenho certeza que teríamos um lindo texto.
Um beijo, com carinho
Denise

Mônica disse...

Néia
Nós aqui em MG não temos ideia da parreira, de como é plantada e colhida. Mas os filmes mais lindo que já vi fala sobre a história de uma moça que mora numa fazenda com inumeras parreiras. Eles faziam vinho.
E quando fizemos o passeio nas serras gauchas me admirei de ver a plantação.
Nós aqui temos é a colheita do café.
Mas voce fez uma bela comparação.
Os seres humanos e as aparencias. Elas nos enganam algumas vezes.
Mas comigo é diferente. Minhas amigas e amigos não tem defeito e se tem eu não percebo nada.
com carinho MOnica

Anne Lieri disse...

Neia,estamos em sintonia:hoje falo sobre os olhos do coração!Esse tipo de olhar sobre as coisas não se engana,não enxerga as aparencias que nos enganam!Lindo e muito reflexivo seu texto!bjs,

Flor da Vida disse...

Amiga, que lindo, sábio, e iluminado é o teu teu texto! Realmente o que importa, o que deve interessar é o conteúdo e não o continente... Amei tuas palavras!!! *E querida, obrigada linda menina, pelas doces palavras que me deixou como comentario na homenagem que escrevi para minha mãezinha! Deus a abençoe muito, viu? Receba meu carinho... Bjsss

Ana Maria disse...

Néia amiga, agradeço pela visita.
Estou um pouco sumida, fiz uma cirurgia, e ainda tenho sensações de fraqueza.
No meu blog o Quotidi-ana-mente, tem detalhes maior sobre tudo. Dê um pulinho até lá, obrigada.
Beijinhos!

Adelaide disse...

Belas palavras, que me levam a pensar que sempre temos que ser tal qual a Fenix e por vezes, renascer das cinzas. A vida professora dura ensina a custas penas aqueles que valorizam apenas o invólucro, a essencia é o que torna as coisas mais belas.
Grande abraço

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Néia
Obrigado pela visita ao meu blog e pelo comentário. Quando puder volte, vou gostar muito.
Te sigo
Bjux

welze disse...

que bom ler suas palavras. sempre muito bom. um privilégio que não posso medir. é sem medida.

Leci Irene disse...

Guria, esta tua comparação com a videira foi fenomenal!!!!!!!! Pior é qdo descuidamos de alguém por este alguém não estar de acordo conosco - então pensamos que esta pessoa não é bonita, nem boa pessoa!

Naty e Carlos disse...

O verdadeiro amor não se conhece por aquilo que exige, mas por aquilo que oferece.
Bjs com carinho

Mariazita disse...

Olá, Néia
Este texto é muito bom!
Achei fabulosa a ideia de comparar a videira a certas pessoas de aspecto rude.
É bem verdade que muitas vezes nos precipitamos nos juízos que fazemos de algumas pessoas, baseando-nos apenas na sua aparência.
Precisamos aprender a ver com os olhos da alma, com um olhar que ultrapasse a aparência e consiga ver no íntimo de cada um.

Continuação de boa semana. Beijinhos

Jeanne disse...

jamais julgar pela aparência, além de ficarmos passsíveis de erro, mais dia menos dia a vida se encarrega de nos mostrar a verdadeira face do outro.]Beijo

Jeanne disse...

Muito lindo o texto. buscar a essência sempre, sem ilusões quanto à apareência.
Beijos

Betha Mendes disse...

O olhar é algo especial, porque com ele podemos enxergar a alma das pessoas, mas para isto, temos que estar dispostos a ver além, principalmente quando estamos diante de "uma pele manchada", como você diz.
Que bom termos a natureza todo dia para nos ensinar isto, quando não é uma videira, qualquer outro milagre da natureza nos ensina que olhar o bem nos faz muito bem! Gostei do seu texto.
Apareça sempre no meu mar de poesias!

abç

Betha

VELOSO disse...

A natureza realmente nos ensina tudo só é preciso sensibilidade para enxergar... Parabens pelo blog e por seus escritos!