30 de nov de 2010

Rabiscando frases II

Num ímpeto de coragem dou continuidade ao post Rabiscando Frases I e continuo dizendo: caso não gostem, ignore-as e se aprovadas, vivenciem-nas.

Amigo é aquele que sabe lapidar, sem dor, a pedra bruta que há em nós.
Escrevo para drenar minha mente inundada por palavras.
O gosto pela leitura é um escudo que nos protege da trivialidade.
Apreciando a paisagem o caminho fica menos árduo!
O bom contador de piadas não esquece os detalhes, não começa do fim, não troca os personagens, enfim, sou melhor rindo!
O pouco, vivido com intensidade, transborda!
Acordar cedinho é sentir a fragrância do frescor das flores me dizendo “bom dia”.
Duradouro é tudo aquilo que se pode recomeçar.
É preciso examinar, detidamente, o terreno onde fincamos os pés, podemos lá ficar para sempre.
Quando minha voz silencia, grito poesia.
Saber ouvir, raro e inexcedível luxo.
Ressentimento e ódio, rugas que pesam no semblante.
O entardecer é o sol derrubando as pálpebras.
Queres ocultar o que levas no coração? Não me fites então!
Pedir perdão na iminência do apagar-se da vida pode ser tarde demais.
Somente no mundo mágico da poesia a felicidade, de fato, existe.
O bom senso regula as palavras.
Não possuir opiniões próprias é o cúmulo da sonsice.
As escoras da fé aliviam o peso das obrigações que nos são impostas pela vida.
Bom humor e simplicidade, dinâmica parceria.
Mágoas são velharias empoeiradas.
Em certas ocasiões um doce olhar age tanto quanto um abraço.
Não procuro entender as distâncias, quero apenas diminuí-las.
Nunca estou só, tenho muitos anjos ao meu redor.
Meu pensamento voou longe, foi em busca de emoções, voltou trazendo saudades.
Na infância não podemos nada, na juventude quase tudo, na meia idade um pouco de cada, na velhice...voltamos ao início!
Benefícios em manter a boca fechada: perder peso e não criar inimigos.
Quando os poetas suspiram, exalam poesias.
Há algo errado em mim, tateio com o olhar, enxergo com o coração, ouço a voz do silêncio, meu olfato capta odores da alma, com o paladar detecto os sabores do amor.




Direitos Reservados

26 de nov de 2010

Alegres companhias

     Nas minhas idas e vindas à cidade próxima, coincidentemente, no mesmo horário acompanho um ônibus escolar que, até certo ponto, faz o mesmo trajeto. Devido à frequência desses nossos encontros percebo que já fiz amizade com aquelas crianças, quando veem meu carro se aproximando alguns - os mais peraltinhas - já se levantam e colocam a carinha no vidro me sorrindo, trazem na expressão a alegria própria da idade. Estão felizes, nem tanto por irem à escola, mas por aquela rápida viagem que para alguns é a mais longa que já fizeram na vida. Com caretinhas engraçadas e gestos ansiosos fazem sinal para que eu não os ultrapasse, querem continuar a brincadeira, nem percebem quando não estou para conversa, mal humorada ou atrasada, ainda bem, eles não tem nada a ver com isso. Aliás, o nosso rosto deveria ser sempre o reflexo da expressão dos outros, então vamos combinar assim, sorriam sempre para mim!
     Pudesse eu me fazer entendida lhes diria que também gosto da companhia, é tão bom não estar só! Mesmo por tão rápidos minutos me sinto abastecida com aquele vigor infantil que salta aos olhos. Neles a sinceridade está estampada, a verdade exibida, não são personagens fantasiados e sim a própria vida! Com a imaginação tento descobrir seus desejos, tomara já saibam o que na vida serão, pior que não realizar sonhos é não saber quais são.
     Em meio a esse grupo de crianças há um que se destaca pelas traquinices, aparentando ser o mais novo, com ares de capetinha me faz gestinhos obscenos, como pode? tão pequeno em estatura e tão grande na malícia? ah moleque travesso! Com o olhar, puxo-lhe a orelha. Posso acompanhá-los por pouco tempo, tenho um bebê tão impaciente quanto eles que me espera - meu pai - ligo a seta, dou um tchauzinho, ganho beijinhos, vou-me embora pensando nas sábias palavras de Mario Quintana: “Só as crianças e os velhos conhecem a volúpia de viver dia-a-dia, hora a hora e suas esperas e desejos nunca se estendem além de cinco minutos...”


18 de nov de 2010

O que as palavras fazem

Um ajuntamento de palavras
tem lá seus objetivos,
pode ser força e encanto ou
um pesado dedo no gatilho.
Construir com letras do bom senso
é seguir os passos do oleiro,
lenta e laboriosamente
ao barro amassado dá boa forma,
obras lindas e duradouras são criadas.
Atirando sílabas inconsequentes,
destrói-se tudo pela frente.
Relíquias inestimáveis são quebradas,
amontoam-se entulhos de dor.
Quem sabe um dia
os cacos estilhaçados serão colados,
alguns pedaços moídos
jamais serão reconstruídos.
O todo nunca mais será a mesmo,
restarão profundas cicatrizes,
as marcas de quem atirou!
É certo que a perfeição não existe,
isento de erros somente Deus
que à sua imagem e semelhança
a humanidade criou,
aos seus olhos, no entanto,
maior valor terá
um sábio analfabeto
que um letrado ignorante!


Direitos Reservados

13 de nov de 2010

O intangível que há em nós

   Ao escrever um texto tenho o hábito de desenvolvê-lo a partir da idéia principal, somente após a conclusão é que dou o título. Hoje saí da rotina, dormi e acordei com a frase que encabeça esse post me martelando os miolos e não há como deixar de falar sobre isso.
     O intangível é o que há de mais bonito no ser humano, pois a princípio é o que lhe concede uma beleza pura, imaculada, visível apenas a quem é capaz de olhar com o coração.
     A natureza nos dá lições esplendorosas, aqui no Sul quem tem o privilégio de um espaço em seu quintal certamente possui uma videira, tenho um verdadeiro fascínio por essa planta que nos ensina que as aparências enganam e que na vida é preciso ter paciência e esperar o momento certo para cada coisa. Há uma época em que necessita ser podada e com um aspecto ressequido faz de conta que a vida ali não mais faz morada, mostrando-se feia e enrugada, quem não a conhece nenhum valor lhe concede. Depois de um tempo de repouso, renasce em brotos e florada, enche-se de vigor e exibe seus frutos em fartos cachos.
     Assim são alguns seres humanos, à primeira vista podem não demonstrar suas qualidades, trazem algumas marcas deixadas pela dor, desamor, seja o que for. Com ar sombrio e rostos frios nunca marcados pela emoção, causam em alguns momentos repúdio e aversão. Com uma atenção mais medida e uma alma desprovida de vaidade será possível perceber que ali a vida também poderá florescer e frutificar, faltando-lhes quem sabe apenas uma oportunidade.
     As vilanias existentes em nós é que diminuem a visão real que deveríamos ter das pessoas. Deixássemos de lado nossos olhares severamente endurecidos e enxergássemos apenas com a força da alma, captaríamos assim o que há de melhor nos outros e que nem sempre se faz revelar.
     Por trás de uma pele manchada e mal cuidada, pode-se encontrar uma alma limpa e delicada, sejamos mais cuidadosos com o nosso olhar.




8 de nov de 2010

É bom estar aqui

     Impossível ser feliz sem ter paixão por alguma coisa, algo que nos faça sentir bem, traga leveza e descontração. Alguns chamam isso de hobby, eu chamo de prazer, o meu nesse momento da vida é escrever, não que tenha feito isso somente recentemente, já vem de longe esse hábito, mas somente agora divulgado e escancarado assim desse jeito.
     Nem quero pensar no quanto me desnudo ou me coloco ao avesso por aqui, tantas impressões deixadas sobre coisas que me encantam ou desencantam, deixando em alguns textos as minhas e as suas sobrancelhas arqueadas de espanto. Alguns dizem que minhas tão simples linhas vem impregnadas de emoção, saiba que isso nunca foi por indução, as palavras brotam e dão sentido ao momento vivido, assim sem nenhuma intenção, inclusive a de rimar.
     As ruas surpreendentemente calmas por onde hoje caminhei, o olhar desconfiado do garoto travesso matando aula, a mulher soltando impropérios ao varrer o lixo na rua esparramado pelos cães, o sol insistindo em perpassar as árvores mostrando ser mais forte que as sombras, de tudo isso eu poderia falar e encontrar um sentido, é assim que me imbuo de inspiração, na observação.
     Sei que alguns preferem um texto meu mais bem humorado, outros buscam uma reflexão e ainda há quem goste de poesia em verso e rima, não tenho um estilo definido, dou asas à imaginação. Não sou de palavras contundentes e nem pretendo mudar o mundo com aquilo que escrevo, mesmo porque sou cheia de defeitos, não sirvo de exemplo. Apenas aproveito esse espaço para fazer com que minha vida não seja pautada de coisinhas empoeiradas, pelo contrário, quero estar a cada dia renovada.
     Quero continuar tricotando, entrelaçando  palavras, tentarei arrematar o trabalho de forma sutil e serena, dando-lhe boa forma e completude, quando isso não acontecer, como uma artesã dedicada, desmancharei tudo e recomeçarei. E caso você observar, nas entrelinhas eu também estarei com uma ou outra mensagem que talvez não lhe agrade. Com isso se eu conseguir apenas um silêncio me desculpe, vou continuar escrevendo o que penso.
     Ah...essa minha alma impetuosa!

1 de nov de 2010

"Deus é capaz"

“Deus é capaz de transformar tua vida
O impossível Ele fará porque és precioso aos Seus olhos
E se tiveres a coragem e a loucura de acreditar
Então irás provar que Ele pode muito mais”.
(Walmir Alencar - Vida Reluz)

Ouvindo essa música logo pela manhã fiquei com ela na memória, a todo instante estive cantarolando esse trecho que me tocou mais, certamente pelo forte sentido que traz.
Falta mesmo um pouco mais de coragem e disposição em acreditar no que Deus pode fazer por nós. Vejo muitos que se dizem cristãos lançando mão de artifícios tão fugazes na tentativa de resolver suas mazelas, demonstrando assim o quanto são fracos espiritualmente. Isso serve apenas para dar campo aos espertalhões de várias categorias que aproveitam desses momentos de fraqueza para arrebanhá-los. Não me refiro às diferentes denominações religiosas, mas a grupos que vão sorrateiramente e quase imperceptivelmente adquirindo o controle total da vida afetiva, financeira e profissional daqueles que frequentam suas reuniões.
Entristeço-me ao ver a ingenuidade e incapacidade de decisão em alguns seres que precisam lançar mão de artifícios dessa espécie para entenderem a si mesmos.
A muitos parece ser mais fácil e cômodo acreditar nas palavras ditas em alto som, porém Deus no silêncio também se faz presente e com delicadeza sussurra em nossos ouvidos tudo que precisamos para encontrarmos o rumo certo, basta estarmos atentos aos seus mais simples e menores sinais.
A fé é um apoio para superar as dificuldades, uma alavanca na busca pelas soluções, tem o poder de desanuviar os olhos embaçados pela incerteza e um conforto no sofrimento. E quando a direção parecer não existir, feito um artista lançando mão de suas tintas, Deus criará uma via, um caminho nítido onde possamos seguir, deixando claro que Ele está no controle da situação.
Aquele que crê no poder infinito e misericordioso de Deus, mesmo vivendo de maneira rústica consegue trazer em si a delicadeza de uma flor e até em meio à dor traz um sorriso dócil emprestando dessa forma, suavidade à vida!
E a música termina assim:
“Deus é capaz de trocar reinos por ti
Abre mares para que possas atravessar
E se preciso fosse daria novamente a vida por ti
Deus só não é capaz de deixar de te amar”.