31 de jan de 2011

Muita Calma Nessa Hora

     Algumas pessoas costumam dizer que num momento de fúria incontida lançam mão de uma medida muito simples: respiram fundo, contam até dez e procuram deslocar o pensamento daquilo que está lhes tirando do sério.
     Comigo, definitivamente, isso não funcionaria. Primeiro porque numa ocasião assim sequer conseguiria respirar adequadamente, que dirá, profundamente; segundo, até as mais elementares noções de matemática seriam esquecidas, ao contar não chegaria jamais ao final da primeira dezena; terceiro, como iria desviar o pensamento daquilo que estaria tomando conta de todo o meu cérebro? Para onde o mandaria se a minha massa cinzenta estivesse completamente tomada pela ira?
     Ter tranquilidade e saber contornar essas situações só traz benefícios, depois do leite derramado, do caldo entornado restará apenas a vergonha de não ter se contido. A irritação tem uma consequência imediata e impossível de ser evitada, fere-se ou se sai ferido. E se, por acaso, você estiver com a razão, menos mal, embora isso não justifique o ocorrido, caso contrário, nada mais há que ser feito a não ser procurar um lugar solitário e curtir o tempo lerdo e agonizante do arrependimento, o mais cruel e eficiente castigo.
     Antes que alguém me aporrinhe e seja tarde demais, vou tratar de tomar meu velho e eficiente chá de camomila, ela que é uma das ervas mais antigas que a humanidade já provou e aprovou, haja visto sua grande eficácia como pacificadora dos nervos. Como diz um velho aforismo: melhor prevenir que remediar, sendo assim, que tal um chá?

40 comentários:

Denise Portes disse...

Néia,
Eu aceito não só o chá como um suco de maracujá rsrs. Tem momentos em que nuvens cinza cobrem os nossos olhos e somente um líquido poderoso para tirá-las de lá.
Um beijo
Denise

disse...

Na verdade, conseguir manter a calma em momentos estressantes só é possivel com muita disciplina e açoes de tranquilidade em todas as situaçoes e ocasioes do dia dia.
Sem nunca dispensar a camomila, claro!!!

Beijosss

Dora Regina disse...

É uma boa! Bem geladinho pra aliviar o calor que faz aqui...
Um abraço! Boa semana!

Chica disse...

Vou precisar bules inteiros dele pra encarar a rotina da cidade assim que as férias acabare, Faltam poucos dias e não posso nem imaginar sair desse paraíso e ir pra cidade chata, insegura e que detesto...beijos,chica

Edna Lima disse...

Também gostaria de ter este controle.Mas não sei discutir então me afasto, me calo, para sempre.Esta é a minha defesa.
Obrigada pelo "menina".!
Abração pra você garota! Bjs Edna.

Maria Célia disse...

Bom dia, Néia
Você tá certa, nestas horas de nervosismo, que dizemos coisas desagradáveis, o melhor, se pudermos fazer isto, é contar até dez, respirar bem fundo, tentar se acalmar pra não explodir, ou quem sabe calar-se e sair de fininho.
Beijo.

Wanderley Elian Lima disse...

Haja camomila. Tem situação que não dá pra segurar a onda. Ficar acumulando raiva faz mal para o coração.
Bjux

Marinha disse...

Ameiiii, Néia!
Quanta sabedoria, amiga!
Eu, como sagitariana, tenho melhorado muito ao longo dos anos, e depois de barris..rsrsrs... de leite derramados, tenho buscado no autoconhecimento o equilíbrio necessário para conseguir não agir passionalmente em momentos de fúria. Ainda sou uma aprendiz, mas um dia...
Bjo e sorrisos pra ti, amiga minha.

Leci Irene disse...

Aceito o chá, com uma colherinha de açucar, por favor!!!!!!!!!!!!!!

Lívia Azzi disse...

Adorei tua escrita!

"do caldo entornado restará apenas a vergonha de não ter se contido" eu também passo muito vergonha por não conseguir respirar fundo nessas horas, risos...

Um abraço e boa semana!

BIA disse...

Oi Néia!!!
Sabe que eu sou bem zen, é muito difícil algo me tirar do sério, realmente não esquento muito a cabeça, e procuro esquecer se alguém de alguma forma quis me prejudicar. Mas um chá com bolo é sempre uma ótima pedida!!!
Boa semana com muita paz!!!
Beijos
Bia

Pituca disse...

Neia querida! não tenho escrito aqui porque na posiçao que me encontro digitar fica dificil, a unica coisa que consigo é ler e usar o mouse com o braço esticado. Assim que eu sarar, quero o chá e, porque não, um chopinho? bjs

Mônica Bif disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk, um chá de camomila é pouco, suco de maracujá, no meu caso ajuda bastante, kkkkk. Mas o que me ajuda mesmo nesses momentos, é ficar quieta no meu canto, sem ninguém por perto além de Deus, e diante Dele apresento toda a minha angústia, raiva, tristeza, choro, enfim, coloco pra fora, da melhor forma... liberando as pessoas daquele sentimento, liberando perdão até o coração ficar limpinho e curadinho, gosto de ouvir algum louvor, ahhhh música é outro remédio que me acalma muito, mais do que maracujá, kkkkkkkkkkkkk. É isso aí, cada um com seu método, importante é fazer como a sábia Palavra nos ensina: Não se ponha o sol sobre a vossa ira! E sem machucar ninguém tb... Bjkas e tudo de bom, ótimo texto!!!!

Kell Alves disse...

Pois é, comigo essa coisa de respirar fundo tb não funciona, mas os chás esses são perfeitos, principalmente pq como minha pressão é baixa eles fazem efeito rapidinho.

Camila Monteiro disse...

Ok, pode dizer, foi escrito pra mim isso né? haha!
Ontem tive um ataque de furia e mesmo me achando na razao acabei me arrependendo (só hj) e fui atras da pessoa e pedi desculpas.
Acredito que nao importa a razao, quando sentimos a furia e nao conseguimos nos controlar o minimo a fazer depois é pedir desculpas. Foi o que fiz!

Adorei esse post!

Valéria disse...

Oi Néia!
É dificil racionalizar quando o emocional está fora de controle, o ideal seria esse autocontrole, mas enquanto isso quanto leite derramado...e vamos tomando chá!

Tetê disse...

Oi Neia! Mulher, no meu caso de fúria, nem chá, nem "maracugina" dá jeito! Eu fujo de situações conflitantes para não precisar me aborrecer! Obrigada pela visita ao Livre Pensamento! Bjks Tetê

Zéza disse...

Oi querida! Vim agradecer a sua visita e avisar que já atualizei! Todos os dias depois do almoço e do jantar, é o chá que eu tomo! O que um chá quentinho não cura? Cura até "dor de cotovelo", viu? Estou esperando sua visita!! Beijos azuis!

Lúcia Soares disse...

E eu que não gosto de chá nenhum, como fico??!!rsrsr
Néia, eu agora sei me conter, mas já fui muito "esquentadinha" e saía "cuspindo marimbondo"!
Agora, quando "rodo a baiana", SE rodo, acaba que fico tão mal depois, que prefiro me conter numa próxima vez...
Mas pra quem gosta, bom chá!
Beijo!

Betha Mendes disse...

Néia,

a calma é privilégio dos sábios, dizem... acredito nisto, porque mantê-la é muito difícil. mas, um chazinho de vez em quando, é uma atitude pra lá de sábia, já que previne. então, vamo ao chá?

bj

Betha

Tia Anica de Loulé disse...

Tenho que começar a tomar esse "seu" chá! Sou impulsivo e...depois me arrependo. Entretanto o mal está feito. No entanto melhor que morder pela "calada".

Jorge

É Preciso saber viver! disse...

Sábia palavras,querida!

E se conseguirmos,vamos contar até dez ou mais...

bjs

Nilce disse...

Oi Néia

Sabe que na hora da raiva não dá tempo de fazer o chá. rsrs
Muitas vezes sou tomada pela surpreza e fico quieta, depois me arrependo. Outras parece que tenho a resposta na ponta da língua e sou imediata e então não dá tempo mais.
Acho que preciso de chá todo dia. hehe

Bjs no coração!

Nilce

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Néia. Uma graça essa crônica. Nem sempre a gente consegue mesmo contar até dez e cia.
um chá de camomila vai bem, em nome da paz...
bom dia

Adelaide disse...

Néia, tem momentos que nem um remédio tarja preta me segura...que dirá um chá de camomila....esse chá uso em noites de insônia para mm é fantastico, quanto a respirar fundo, por incrivel que pareça...depois de anos de yoga...eu aprendi e o pior é que as vezes, eu disse as vezes, funciona....rsrs.
Abraços

Meri Pellens disse...

Eu que o diga. Diante de injustiças não consigo me calar. Creio que o mal não é se impor, mas a maneira como fazemos, pois tendemos sempre ceder à grosseria com grosseria, e aí é que mora o problema.
Beijo na alma!

welze disse...

as vezes nos tiram tanto do sério que costumo dizer que nem maracujá ou comer suas folhas me acalmam. respirar? que nada, chego a perder o fôlego. mas nada dura para sempre, e depois de algum tempo, é tudo novo de novo. ainda bem, um abraço

Pai do Coração disse...

Sempre fui tímido, talvez por isso aprendi me expressar melhor no papel. Quanto ao assunto do post...existe um versículo em Proverbio que fala algo assim: Palavras são como flexas, depois de lançadas não há como evitar o estrago...e outro texto que não lembro onde diz: quem domina a prórpria língua domina todo o corpo.

KINHA disse...

Olá Néia

Há tempos atrás, todas as Quartas-Feiras o blog publicava o "ESPAÇO DAS ARTES". Amanhã, o espaço volta ao ar. Não perca.
Vou aguardar a sua visita. Estou te seguindo.

ATÉ AMANHÃ...

Bjoooooooooooooooo............

http;//amigadamoda.blogspot.com

Sandra disse...

Obrigada pelo carinho. Agradeço pela sua amizade.. Carinho.
Como é bom abrir as portas do Blog e poder te encontrar.
Desculpe pela ausencia. Mas nenm sempre conseguimos fazer tudo, como pensamos. Sempre precisamos dar um tempo.
Obrigada pelo seu carinho. assim que puder voltarei.
Carinhosamente,deixo o meu abraço..
Sandra.

A Amizade é um grande tesouro que encontramos.. Um Brilhante que esta sempre a brilhar.
Até mais..

REINALDO FONSECA - PASCOM disse...

Olá!!! Em janeiro estive um pouco ausente, a partir de hoje o nosso blog voltou a todo vapor. E com grande alegria estou vendo este seu último artigo publicado.
Grande abraço na Paz e no Amor de Cristo,

Reinaldo

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Néia...tem momentos que nem contando até 1000 dá jeito...rs
Mas acredito que sempre vale a pena tentar, sempre fui muito paciente, calmo, mas acho que estou mudando...ultimamente minha postura e modo de encarar certas situações ficou irreconhecivel...mas acho que essa nova forma tem me ajudado a aprender coisas novas...
Um abraço na alma
Beijo

Marinha disse...

Amiga minha, tem poesia em forma de animação lá no blog. Meu presente para os amigos que conquistei na blogosfera.
Bjo e sorrisos, Néia.

M. Sueli Gallacci disse...

Rsrsrs adoro os teus textos!!!

Eu tbm sou pavio curto, filha de italianos, já viu, né... Mas como dizia meu pai, cachorro que ladra não morde rsrs. É só fogo de palha, mas que esbravejo, desço do salto, rodo a baiana, ah! isso faço com a maior categoria! E quer saber da verdade? Sinto-me muito bem depois... Leve livre e solta. Mesmo que depois tenha que voltar atrás e pedir desculpas. Essa parte tbm é boa rsrsrs.

Bjo enorme.

Tati Pastorello disse...

Ai Néia, como seria bom conseguir aplicar, na prática, o que sabemos por teoria, não é mesmo? Eu também me lembro destas lições do respirar fundo, contar, etc, mas só depois que a raiva já passou! kkkk
Bom chá.
Beijos.

Isadora disse...

Néia aproveito para me servir um pouquinho desse chá. Na verdade, acho que eu preciso de doses cavalares. Não que eu chegue a derramar o leite (só de vez enquando), mas muitos vezes tenho vontade de derramar litros de leite!!!
Obrigada pelo convite e pelo chá.
Um beijinho

Livinha disse...

Neia, que profundo!!!
Texto reflexivo e cá comigo penso:
Estás certinha!!!
Aprendi a carregar comigo uma frase que uso como lenço de bolso:
Não briga dois quando um não quer.
Eu estourada, hoje já não mais sou. Deixo pra lá. Caio na real ao pensar que o outro se vê no espelho meu e não se reconhece alegando ser eu...

Adorei!

Minha linda. Estou de volta.
A saudade bateu a minha porta e não
me tirou o sossego.
Curti minhas férias, mas cá estou em meu aconchego...

Bjs

Livinha

Irene Moreira disse...

Néia

Aceito sim um chá de camomila para te fazer companhia e relaxarmos num papo traquilo falando sobre as coisas boas da vida.
Concordo contigo que em certas situações não existe esse controle tão fácil de falar.

Beijos e uma linda semana

Mariazita disse...

É, minha amiga, nem sempre é fácil, mas é sempre possível :)
Teve um tempo que eu era o que nós chamamos "espirra canivetes". Mas com o tempo fui aprendendo a me dominar, e agora é muito raro eu sair do sério. Não quer dizer que, uma vez por outra, não me irrite - afinal eu não sou santa :) Mas, acredite, é uma questão de disciplina. Basta pensar: eu não me vou descontrolar por uma porcaria que não vale nada! E pronto, como que por artes mágicas, a raiva passou. Acredite que é assim :)

Continuação de boa semana. Beijinhos

Carla Farinazzi disse...

Oi Néia!

Nesse momento da minha vida, o que mais tenho exercitado é a minha paciência! Olha só, já estamos no 34º dia do ano e ainda não explodi!!!

Isso é um feito inédito. Affeeee!

Beijos, excelente texto. Vou guardar pra ler de novo e de novo!

Carla