3 de out de 2011

Rotina


     Espreguiço-me, olho as horas e tomo a decisão inusitada de não me por em pé agora, apesar de todos os meus músculos estarem clamando, desesperadamente, o contrário. Num breve segundo decido que o meu dia vai ser diferente e para isso preciso acordar, pelo menos, uma hora adiante. Esqueço que o organismo, agarrado aos costumes diários, nem sempre é obediente às ordens do cérebro. Assim, revolvo-me para um lado e outro, o sono que é bom já foi embora faz tempo!
     Faço um esforço desumano, minha ansiedade fica a me estalar os dedos, respiro fundo, insisto em não ligar o lap top logo que levanto, percebo que alguns hábitos já se tornaram vícios e não satisfazê-los é um tormento.
     Ao meio-dia meu estômago, indiferente ao desafio em sair da rotina, quer ser saciado imediatamente, nada de saber dessa história de almoçar em outro horário. E para que eu não o esqueça, faz-me lembrá-lo a cada minuto emitindo roncos audíveis a quilômetros.
    Passo os olhos pela estante à procura de um livro que jamais leria em dias normais, prendo uma mão à outra para que não alcancem Rubem Alves ou Mário Quintana, que ali, ficam saltitantes, diante de mim. Crueldade é o que estou fazendo comigo mesma ao fugir dos meus mestres poetas que gosto tanto!
     Saio à rua, preciso ir por onde eu nunca tenha andado, missão praticamente impossível numa cidade de tão poucos metros quadrados. Crio uma paisagem diferente caminhando de trás para frente, ouço a voz da mulher à janela dizendo: lá vai a louca que inventou viver de outro jeito. Divirto-me com essa minha mais nova e impetuosa insanidade.
     Ligo a TV e faço um juramento que, sei muito bem, não vai durar mais que um momento, assistir ao menos um capítulo de novela sem derramar lágrimas ou me irar com as cenas ou quem sabe acompanhar um programa de notícias sem ver sangue escorrendo.
     A noite chega e meu relógio, o biológico - outro não tenho - diz-me que está na hora de ir para a cama, teimo em não dormir como sempre tão cedo, quero ir até altas horas e descobrir todos os segredos da madrugada. Sigo embriagada pelo sono, seguro as pálpebras com os dedos.
     Eu me rendo! Coisa mais complicada fazer na hora errada o que é tão simples fazer no momento certo. Fecho os olhos e se amanhã eu acordar, que isso não seja diferente, quero dar, bem cedo, um bom dia à minha rotina. Depois de um dia tentando ficar bem longe dela, descobri que, livre de rigores inflexíveis, ela pode ter lá as suas belezas também!

(Esse texto faz parte do projeto "Dois Olhares" de Néia Lambert e Denise Portes O delírio da bruxa)
Direitos Reservados

30 comentários:

✿ chica disse...

Sensacional teu texto e é bem assim...Não sabemos o que fazer sem ele...beijos,chica

Rô... disse...

oi Néia,

pois é,
parece que a rotina as vezes é necessária,
nos faz falta,
mas vou te confessar adoro fugir dela,
me aventurar,
fazer diferente,
me faz um bem danado...

beijinhos

Edna Lima disse...

Adorei! "A louca , que inventou viver de outro jeito"
Isto é minha definição momento.
Bom dia. Bjs. Edna.

Ivana Maria disse...

Adoro seus escritos!... Cê sabe. rsrs
Amiga, hoje, também eu, tornei-me escrava da rotina. Presa a ela, em minha mente, ainda quando me liberto fisicamente, do jeito que experimentas-te. Todavia, as vezes louca, já fui outra pessoa em mim mesma, vivendo aventuras que jamais Ivana viveria. bjs

Suzy Rhoden disse...

Néia, estou precisando experimentar esse outro lado da rotina para, talvez, passar a amá-la um pouco mais! Verdade, tenho uma dificuldade imensa para seguir rigorosamente horários estabelecidos. Claro que sou responsável e confiável profissionalmente, mas tanto quanto posso modifico as coisas e as atividades diárias para não ter justamente a cansativa sensação de rotina nos meus dias. Preciso dar um jeito de compreender que, como você disse, 'ela tem lá as suas belezas também'.

Beijos!

Carla Ceres disse...

Gostei muito do texto, Néia, e acho que vou seguir seu "mau" exemplo. A rotina que se cuide. :) Beijos!

ValeriaC disse...

Ficou maravilhoso seu texto... é bem verdade minha querida, nos acostumamos em nossas rotinas e dá o que fazer para a mudarmos um pouquinho rsrs....bom, ainda quando esta rotina nos agrada, então pra que tanto querer mudar? Vamos apreciar suas belezas...
Boa semana amiga...beijos...
Valéria

Sonhadora disse...

Minha querida

Um texto cheio de realidade...mudar é sempre bom e necessário para que a rotina não nos deixe estagnadas no tempo.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Por vezes gostaria de quebrar a rotina, mas sinto-me bem nela, consigo torná-la produtiva e ser feliz! Bjs

ღα૨gѳђ ખ૯૨ท૯૮ઝܟ disse...

Essas reformas intimas são as mais trabalhosas mas tb as mais gratificantes .

Adoooro!

Beijo

BIA disse...

Olá Néia!!!

Poucas pessoas gostam de rotina, acham que é um tédio, mas tudo depende do ponto de vista, eu amo a vida e a rotina que é viver!!! Belo texto como sempre!!!
Ótima semana!!!
Bjus
Bia :)

Clau disse...

Sensacional esse texto!
Eu adoro sair da rotina,pois tem dias que sinto-me entediada com ela.
Faço um esforço fora do comum,pra esquecer de internet em determinados dias.rs
Tento fazer caminhos diferentes,e mudo meu trajeto,mesmo se for pra caminhar do outro lado da calçada! :)
Bjs Néia!
Tenha uma semana abençoada!

Vivian disse...

Olá,Néia!!

A rotina as vezes é bem estressante mais sair dela também é!!Tem dias que precisamos de mudança, mas...rsrrs
Lindo seu texto!!É um dos lados!
beijos!!

Zéza disse...

Oi querida! Vim agradecer a sua visita e avisar que já atualizei! Estou esperando sua visita!! Beijos azuis!

。♥ Smareis ♥。 disse...

Néia, ando precisando urgente quebrar a minha rotina. Adorei o texto.Desejo uma ótima semana, cheia de muitas energias positivas, muita paz e muita luz sempre na tua vida. Beijos grande!

Smareis

Cacá - José Cláudio disse...

Eu adoro a rotina. Só para ter o gostinho de driblá-la de vez em quando e me sentir com saudade dela em seguida. Abraços.

Taia Assunção disse...

kkkkkkkkkkkkkkk...muito bom. Meu Deus, como sofremos por ela e depois chegamos a conlcusão que dependemos dela. Sempre ela, a rotina. Adoro. Beijocas!

Vera Lúcia disse...

Olá Néia,
Muito real este texto. Considero bem desconfortante sair da minha rotina, embora compreenda que é necessário mudar hábitos de quando em vez. É como ressalta o texto, "livre de rigores inflexíveis,ela pode ter suas belezas".
Gostei muito do texto.
Beijos.

Socorro Melo disse...

Olá, Neia!

A rotina tem sim sua beleza, suas compensações... Já fiz experiência parecida com a sua, e confesso que me desnorteei um pouco, kkk
É desconfortável sair da rotina, mas, discretamente, vale à pena. Não precisamos ser radicais. Vez ou outra mudo de caminho, compro algo que não costumo comprar, como algo diferente... Enfim, não sei se surte algum efeito, mas...
Recuei e li os textos anteriores, e em cada um, me deliciei com a sua arte de escrever e de perceber os pequenos detalhes, que fazem a diferença.

Grande abraço, amiga
Socorro Melo

LILIANE disse...

engraçado NÉIA
eu odeio rotina, mas preciso tanto dela (assim dizem os especialistas)
gosto de fazer as coisas na hora que eu quero, mas não deixam, uai.
tem coisas que são até necessárias, mas mesmo assim eu acho uma chatice
rs.
adoro o diferente
comer diferente
fazer tudo o contrário de todo mundo,
ai Néia, me acode
será que eu sou anormal?
rs
beijos.
ai, já vim aqui antes, mas quem disse que eu consegui comentar logo depois de ler.
Hum, deve ser por causa da rotina, rs

Vivian disse...

Olá,Néia!!

Tenha um ótimo dia!!Que seja bem alegre!!!
Beijos!

Mariazita disse...

Olá, Néia
Tenho lido, mais do que uma vez, que uma forma de combater o envelhecimento, obrigando o cérebro a trabalhar, é exatamente quebrando a rotina.
Mas a verdade é que o Homem (no sentido de humanidade) é um animal de hábitos, e, em consequência, de rotinas.
Penso que vc exagerou um pouco :). Quebrar a rotina dum dia inteiro é dose! Só se pode quebrar um pouquinho cada dia :)
Adorei o seu texto. É magnífico!

Continuação de boa semana. Beijinhos

Mônica Bif disse...

Oi Néia!!! Saindo da rotina éh??? Rssss. Nem me fale, sei bem o que é ter que se adaptar a algumas mudanças, ainda que temporárias, na minha vida. Mudanças de horários pra dormir, pra comer, pra sair, mas bom mesmo é quando agente pode voltar a "velha rotina" e descobrir que ela não é assim tão ruim neh?! Rsss. Ai como é bom encontrar o seu próprio ritmo, afinar-se nele, encontrar-se consigo mesma e descansar o coração dizendo com segurança e paz: essa sou eu mesma, essa é minha verdadeira identidade, não vou brigar com a vida nem tentar ser quem não sou, apenas ser eu mesma, ser feliz, descobrindo aquela que em mim, aí já estava, esperando ser despertada, ser reconhecida e aceita. Rsss. Bju Flor, tudo de bom pra vc!!!! AMEIIIIII O TEXTO!

。♥ Smareis ♥。 disse...

Querida Néia passei pra deixar um carinho, um abraço e te desejar um resto de semana abençoado.
Beijos grande no coração, com abraço apertado.
Smareis

Sotnas disse...

Olá Néia, desejo que tudo esteja bem contigo!

Esta postagem me faz lembrar minha avó que sempre dizia sempre que ouvia reclamações.
Menino nesta vida eu aprendi muita coisa, e uma delas e que tudo nesta vida para as pessoas é tudo uma questão de costume, ou seja, sempre nos acostumamos a tudo, basta querermos. No seu caso você se sente bem com a tua rotina, outros preferem diferenciá-la em todos os momentos, e assim o que mais importa e estarmos vivos para experimentar as várias formas de viver, da maneira que mais nos agrada. E por cá sempre um belo e reflexivo texto, e gostei também da imagem a encimá-lo, ela retrata bem a questão do texto, parabéns pela postagem!
E grato por tuas sempre tão gentis visitas e comentários eu desejo a você e todos ao redor um viver intenso e feliz, abraços e até mais!

Vera Lúcia disse...

Olá Néia,
Passando para lhe deixar um beijinho.
TUDIBOM.

Sandra Portugal disse...

Néia, fiquei maravilhada com sua composição! Fiquei curiosa sobre esse trabalho em parceria!
parabéns
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

Camila Monteiro disse...

Néia, que dificil sair da rotina, nossa!
Já tentei, mas não consegui. O corpo se revolta, as pessoas estranham, as coisas ficam dificeis e a gente fica meio perdida né?!
Eu adoro rotina, não vejo mal algum em permanecer nela.
Bjos

Tais Luso disse...

Néia, algumas pessoas se estressam ao sair da rotina que requer sempre uma preparação de horários e hábitos novos.

Eu adoro minha rotina, porque nela está obrigatoriamente inserida tarefas que me dão muito prazer. Então não há necessidade de coisas novas, isto eu deixo para as férias, necessárias, mas desgastantes. Sair da rotina é até válido, as vezes temos de sair, mas como é bom o retorno! É como tirar o salto e colocar uma havaiana...

Um beijo!
tais

Fanzine Episódio Cultural disse...

A ACADEMIA MACHADENSE DE LETRAS (Machado-MG) comunica que estão
abertas as inscrições para o VIII Concurso Plínio Motta de Poesias, do
ano 2011. As inscrições vão até o dia 21 de outubro de 2011.
Entrem em contato para adquirir o Regulamento:
a/c Carlos Roberto machadocultural@gmail.com
ESTE CONCURSO ESTÁ ABERTO PARA TODOS!

OBS: O VALOR DA INSCRIÇÃO ( 2 REAIS) PODE SER COLOCADO DENTRO DO ENVELOPE COM AS 6 CÓPIAS DA SUA POESIA.