01/12/2011

Fim de tarde



     Na varanda descanso, preguiçosamente, a cabeça no encosto da cadeira. Não consigo fugir ao hábito de fechar os olhos para captar melhor os sons que me rodeiam e que integram, necessariamente, a paisagem do meu pequeno mundo. Chega-me aos ouvidos o agito barulhento dos pássaros, correm em busca dos seus abrigos, temem a noite que não tarda; também escuto risos descontrolados denunciando uma sandice jovial, bem própria dos alunos que nesse horário voltam faceiros da escola; impossível não ouvir uma mãe aos gritos chamando, para o banho, o filho que, desobediente, quer ficar um pouco mais na brincadeira gostosa de rolar na terra vermelha; percebo ainda, bem longe, um cão que, alegremente, late anunciando a chegada de alguém. Pela hora que avança, é o seu dono que logo na entrada agrada o seu animal com toda sorte de afagos.
     Levanto as pálpebras, não posso perder nem um segundo desse espetáculo que a natureza, aliada à calmaria do interior, apresenta em cada ato. Por pouco tempo as árvores mais altas apresentam suas copas contornadas por uma auréola de luz, um toque especial que é dado pelo grande artista - o sol - que, num tom dourado, despede-se calmamente do dia.
      A noite ainda não tem licença para chegar, resta ainda uma tênue claridade e o dia não pode se despedir antes de ouvir a sinfonia das cigarras. Essas que durante anos vivem um doloroso isolamento sob a terra, agora eclodem, majestosamente, à superfície. Saem da letargia com seu canto agudo, mostrando quanta força e encanto há nessa metamorfose da vida!
     Antes que a penumbra tome conta por inteiro da cidade, um carro roda lentamente, ao som de uma música alta e angustiante vai anunciando que algum habitante, há poucos instantes, deu o seu último suspiro. Apuro os ouvidos, quero saber quem foi embora desse mundo, volto os olhos rumo ao céu e desejo que para lá ele tenha ido, não questiono os mistérios da morte, porém impossível, nesse instante, é não pensar na transitoriedade da vida.
     O dia também está com suas horas marcadas, respiro fundo, acaricia-me o rosto uma brisa fresca que vem chegando com ares quase noturnos. Resta-me sorrir diante do privilégio de viver esse pôr do sol, mais uma vez!


(Esse texto faz parte do projeto "Orgulhosa Simplicidade" de Néia Lambert) 


Direitos Reservados

27 comentários:

Rô... disse...

oi Néia,

as coisas simples da vida,
são as que mais me encantam,
senti a brisa leve a me acariciar,e
fiquei a apreciar esse lindo entardecer
em sua companhia...

beijinhos

✿ chica disse...

Que delícia e ver o por do sol nos encanta e deu pra sentir até essa brisa;LINDO! beijos,chica

Socorro Melo disse...

Olá, Neia!

Um espetáculo da natureza! E você descreveu divinamente bem. Amo o entardecer, as cores, o brilho dourado do sol, o vento fresco, as sombras, enfim. E que maravilha, poder agradecer pela vida, a cada instante. Lembro-me do amor de Francisco de Assis, pela natureza.

Um grande abraço, amiga
Socorro Melo

Carla Ceres disse...

Já morei numa cidadezinha tranquila assim, Néia. Tinha mil habitantes e, quando alguém morria, os sinos e o alto-falante da igreja anunciavam. Seu texto me deixa com saudade. Beijos!

Suzy Rhoden disse...

Néia, tua descrição me deixou com saudade dos dias em Minas Gerais, onde morei em cidades grandes e agitadas e também em cidades tranquilas e pequenas. Eu sabia que meus dias lá eram contados - eu tinha data para retornar - então queria guardar todos os sons, todas as paisagens, todas as impressões de uma terra que amei tanto! Tua descrição me levou em especial a Montes Claros, para ver um pôr do sol de tantas cores que até hoje não consegui descrever... Ter as horas contadas, de certa forma, nos dá a capacidade de olhar com outros olhos para a mesma paisagem de todos os dias. Deveríamos ter a morte como um motivador para olharmos bem, com prazer e alegria, para cada um de nossos dias!

Beijão.

BIA disse...

Oi Néia!!!

Aqui a gente viaja através de suas palavras por lugares tão diferentes do que não se está acostumada nas violentas cidades urbanas. Como falei em um comentário anterior logo que te conheci te achei com jeito de paulista, jurava que tu morava em São Paulo, mas agora vejo a tranquilidade da tua cidade, uma paz mesmo!!!
Tenha um feliz fim de semana!!!
Bjs
Bia :)

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Tão bom fechar os olhos e ouvir o silêncio, captando com os outros sentidos as coisas ,mais simples! Bjs

Sonhadora disse...

Minha querida

A imagem e a maneira como descreveu o momento, quase que me senti dentro dele.
Como sempre lindo.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Vera Lúcia disse...

Néia,
Que encanto!
Pude transportar-me para a cadeira na varanda e acompanhar toda esta maravilha minuciosamente descrita.
Parabéns pela beleza do texto!
Beijos.

Valéria disse...

Oi Néia!
A poesia de suas palavras nos transporta para esta bucólica paisagem que você descreveu. Que lindo entardecer, a serenidade de um tempo que tem preguiça de passar. Que saudade disso!
Beijinhos!

Clau disse...

Que lindo cenário!
Um fim de tarde,descrito com muita poesia...
Nas grandes cidades,parece que esses detalhes tão simples e especiais,não são percebidos.
Bjs Néia!!
:)

Claudia Anahí disse...

Meu Deus que coisa linda! Pude presenciar cada um de seus sentidos. Parabéns!

Daniele disse...

Que delícia de texto!
Viajei nas suas palavras...
Boa noite!
Beijinhos no coração

Sheyla Xavier - DMulheres disse...

Néia
Valeu pelo excelente post! Sintonia com a natureza e a simplicidade das coisas, é o que há de bom!! Viajei em seus devaneios.
Boa noite, bjokasss

Sheyla Xavier - DMulheres disse...

Néia,
Que coincidência maravilhosa, essa rsrs.. Você lá no DM e eu aqui!! Sou sua fã..
Grata pela visita e pelo comentário!
bjossssssssssssss

Patrícia disse...

Ah o céu!!! Postei sobre esse espetáculo hoje... lindo post.
Beijo

Camila Monteiro disse...

Tem razão Néia, as vezes é bom só viver!
Acabei de escrever um texto no blog e é exatamente isso que venho sentindo. Meu texto pode parecer triste, mas estou muito bem acredite!
Beijos!

Vivian disse...

Olá,Néia!!!

Um texto que é pura poesia!!Obrigada por nos transportar para este seu momento tão especial!Que bom fechar os olhos e sentir...e agradecer sempre por mais um dia!
beijos minha querida!!!
Que Deus abençoe sempre sua preciosa sensibilidade!!
Bom final de semana!!

Tetê disse...

Oi querida! Ainda estou sem computador em casa... que saudades... e que sufoco, ver os comentários e não poder retribuir! Estava usando o PC da vizinha que ainda é um XP, lento de dar dó. Agora abriu uma lan house aqui perto de casa e já me cadastrei! Um dos meus maiores prazeres é contemplar o por do sol! Obrigada por sua visita! Um abençoada Advento para vocês! Bjks Tetê

ღα૨gѳђ ખ૯૨ท૯૮ઝܟ disse...

Gosto de vir aqui , sua simplicidade é encantadora. Beijos

Reinaldo Fonseca - Pascom Paroquial disse...

Olá! Estamos de volta. Peço desculpas por este período ausente, fico feliz ao ver que seu blog continua com a mesma qualidade de sempre.
Neste tempo de Advento e Natal deixemos que Maria nos conduza, aproveitemos o seu exemplo, contemplemos as suas atitudes, deixemo-nos educar e com Ela aprendamos a viver como verdadeiras famílias cristãs. Jesus tem que nascer de novo em cada um de nós, para que possamos viver em íntima união com Ele.
Grande abraço na Paz e no Amor de Cristo,

Reinaldo e equipe da Pascom

sandrafofinha disse...

que texto mais maravilhoso amiga,adorei o que escreveste,belos momentos de pura inspiração. beijinhos e bom fim-de-semana para ti querida!!

Mara Melinni disse...

Que a vida tenha sempre o jeito dessa Orgulhosa Simplicidade... Porque é nela que residem nossos bens mais preciosos!

Ótimo fds, Néia! Vc é sempre querida...

Bjo no coração! ^^

Tetê disse...

É realmente uma pena que a maioria das pessoas não dê conta da beleza do Natal... eu, como boa formiguinha, vou fazendo minha parte mas percebo que nessa época cai a frequência nos meus blogs. As pessoas preferem visitar os que dão dicas de ceia, decoração, presentes... Mas eu não esmoreço! Querida, um abençoado Tempo de Advento prá você e sua família! Bjks Tetê

Mônica disse...

Neia
Eu sempre acordei muito cedo , de madrugada para poder ir pra escola trabalhar. E muitas vezes andando de onibus eu via sem nenhum sacrificio o nascer do sol.
E o por so dola eu via também lá de casa diariamente.
Sinceramente muitas vezes eu achava o por do sol mais bonito.
Por que uma vez escutei que é Deus nos dizendo ate amanha!
Um abraço
com carinho sua amiga Monica
Neia voce tem razão.
Eu não a conheço, esqueço de olhar sua foto, mas sinto que a conheço de longa data.
Por isso penso que amizade é tambem possivel alem da presença , mas nos novos meios de comunicação que o mundo nos proporciona

Livinha disse...

Voc~e e a intimidade com a natureza, o que tão belamente transcreve em tua sensibilidade de ser, de captar as ondas que te chegam...

Que todos os fins de tarde te sejam lindos assim, mesmo aqueles nebulosos, quando a natura chora a refazer o seu trabalho...

Estou de mudança em novo endereço, por razão disso, mihas desculpas pelo silêncio, pela falta de estar aqui mais constantemente. mas dizer que dos amigos não esqueço.

Beijos

Livinha

Uma feliz semana pra ti Néia

。♥ Smareis ♥。 disse...

Que bonito esse texto Néia, Um momento muito especial. Sempre vou para o Sitio e lá posso sentir essa beleza que descreve. Amei demais! Beijos e ótima semana.