29 de abr de 2011

A delicadeza de Deus

Quem foi que disse que para ter o controle de tudo é preciso ser autoritário?
E que ao tentar impor respeito seja necessário lançar mão de uma inexpugnável arrogância?
Que para ser notado se queira, indiscretamente, aparecer?
Ou para ser ouvido uma voz ensurdecedora se faça ter?
Pensei em Deus que tem o supremo poder e que em momento algum usa de algum recurso para que sua presença seja percebida, Ele é imune às vaidades, transcende a ganância e a falsa aparência,ensina que é bom praticar virtudes, porém, desinteressadamente. Como reconhecimento pelos seus atos de misericórdia espera nada além que ser aceito, amado, lembrado.
Deus é sensibilidade absoluta e não teme ser discriminado ao se fazer em total ternura. Alcança, delicada e cuidadosamente, as regiões mais inóspitas do ser humano onde nem mesmo os amigos mais íntimos se atrevem a ir, tal a frieza e hostilidade que lá se veem.
Deus é assim, um perfume extremamente suave incapaz de agredir o olfato, uma luz que mostra o caminho sem ofuscar a visão, a voz que soa agradavelmente em forma de canção, o abraço acolhedor nos momentos de dor, a gota de orvalho que, a alguns olhos, não passa de um mero detalhe, mas faz toda a diferença na beleza de uma flor.


Direitos Reservados

19 de abr de 2011

Avassalador

Há dias não escrevo sobre o amor, que me desculpem os insensíveis, mas vou insistir em voltar nesse assunto que é, na verdade, um não mais acabar de coisas lindas para se falar.
Quão dominador é esse sentimento, inexplicável aos olhos, ao entendimento, à razão, traduzido apenas pela emoção. Revira, mexe, transforma, enlouquece! É assim que o amor faz com quem se atreve a trazê-lo em si, embora se saiba que para mantê-lo é preciso, antes de mais nada, um encanto sem fim!


Direitos Reservados

12 de abr de 2011

A cor das emoções

Numa ânsia por perscrutar os sentimentos
penso que, se aos olhos eles fossem vistos,
teria cada qual um colorido diferente?
Bem sei que o amor tem um tom bem forte,
intenso a ponto de jamais descorar um dia.
Já a paixão, na sua instabilidade incontida,
não resistindo às menores intempéries,
teria a sua esfuziante cor logo esmaecida.
Em pensamento continuo indagando,
será que dor também se mostraria em forma de cor?
Bom seria se em paleta alguma ela fosse vista
e que nenhum artista em tela a colocasse um dia.
E o medo, fico a imaginar, em que tom ele surgiria?
Certamente, viria isento de cor,
na sua cruel transparência se faria sentir
e uma alma sequer deixaria ser feliz.
Porém, a alegria, essa sim, com suas múltiplas facetas,
deveria vir em cores muito bem combinadas
a ponto de mostrar a felicidade com tal intensidade
que até os marcados pela tristeza, efusivamente, rir-se-iam também!





Direitos Reservados

8 de abr de 2011

Suave odor!

Costumo dizer que os odores estão presentes na minha vida de forma intensa e as melhores nostalgias são trazidas, peremptoriamente, pela memória olfativa.
Como não fazer um rápido retorno à infância ao sentir o cheiro inconfundível e agradabilíssimo de pão caseiro saindo do forno? Ou aquele tênue aroma dos doces em calda que, aos sábados, eram feitos com graciosa habilidade pela minha querida mãe? Como não relacionar alguns bons momentos ao perfume, absurdamente envolvente, que exalava dos jardins de todas as casas onde vivi? Isso sem falar daquelas pessoas que ficaram marcadas pelas fragrâncias delicadas que somente as almas lindas emanam de si.
Não tem mais como mudar esse meu jeito, vou deixar que meu olfato continue me inebriando e perpetuando os mais belos momentos da  vida.
Eu quero mesmo é ter sempre ao meu lado gente cheirosa, de espírito suave, com largos e magníficos sorrisos,  são apenas essas as minhas simples exigências para que se tornem eternos dentro de mim. 

Direitos Reservados

5 de abr de 2011

Instantes

Qual é o melhor tempo da vida?
O que já se foi e ficou apenas numa lembrança longínqua?
O que está acontecendo nesse exato momento
e que pode não durar mais que um instante?
Ou o que está por vir, apesar de não saber se será bom ou ruim?
Quem nessa encruzilhada se deparar
não errará o caminho caso tenha Deus como o seu guia.
Ele ensina que o melhor tempo
é o isento de arrependimentos ou remorsos,
no qual as malditas palavras que ferem não foram ditas,
também é o instante em que se vive intensamente cada segundo,
sabendo, antes de tudo, que a alegria será completa
somente quando partilhada com mais alguém.
Há que se lembrar que para todo aquele
que confia fielmente nesse bom condutor
não haverá caminho no qual não se possa chegar,
nem temores degradantes pelo que há de vir se farão sentir.
Sem dúvida, o melhor momento é aquele em que,
numa crença serena, percebe-se que a vida
é irresistivelmente sedutora e que nunca é tarde para ser feliz!




Direitos Reservados

1 de abr de 2011

Fé na medida certa!


     Estou escrevendo logo pela manhã como prefiro sempre, escuto uma música que toca ao longe vinda não sei bem de onde, alguns vizinhos mais distantes costumam deixar o rádio ligado nesse horário. Fico tentando entender porque algumas pessoas precisam manter o som alto do que estão ouvindo, seria a vida  sem graça se não partilhassem o que gostam de ouvir? Embora para mim o som esteja chegando um pouco distorcido pelo vento que sopra inclemente, posso ouvir a canção que diz: “Céu, lindo céu, é um lugar que Deus preparou pra mim”. A melodia é linda, fico com esse verso na mente, cantarolo-o a todo instante, tenho que dar a mão à palmatória e admito, agora foi bom alguém ter deixado o som elevado a ponto de chegar aos meus ouvidos também.
     Dou um tempo no texto que estou criando e observo o vapor que sobe da xícara ao meu lado. Motivada pela música, penso que a fé é tal qual esse café quente que bebo neste instante, ele precisa estar bem aquecido para que eu sinta os seus efeitos benéficos e prazerosos , porém uma vez frio o meu paladar irá captar apenas um gosto ruim, um aroma nada agradável e, inevitavelmente, será deixado de lado. Dessa forma também a fé não deve ser fria, nem tampouco morna e para ser bem vivenciada deve ser mantida sob o calor da oração. Porém nunca é demais lembrar, até mesmo na crença é aconselhável não se perder em excessos, pois esses costumam resultar em fanatismos e pode por abaixo o que a fé presenteia de mais bonito, a leveza de espírito.
     Continuo ouvindo os versos da música e penso que creio numa boa medida, o bastante para eu ter a certeza que Deus está preparando um lindo céu para mim também.