18 de dez de 2012

O humor da melhor idade




Após algumas voltas de bike pelas ruas da cidade, uma paradinha nos aparelhos de ginástica na praça já virou um hábito, ainda mais com a certeza de iniciar o dia rindo em companhia de algumas senhoras idosas que, diariamente, ali se fazem presentes. Animadamente, contam histórias hilárias sobre seus esquecimentos. Capto dicas e conhecimentos para a minha terceira idade que já anda dando os ares da graça, diga-se de passagem, apenas finjo que não vejo.
D. Maria é mestre em ensinar alguns truques para que ninguém perceba a caduquice que, sem pedir licença, chega tomando conta. O jeito, diz ela, é não falar no assunto com a família, qualquer ocorrido será motivo de escárnio e, certamente, muitos olhares vigilantes. Tentar disfarçar ao máximo as barbaridades cometidas pelo avanço da idade é condição absoluta para viver com sossego por mais um tempo.
Contou um fato com uma riqueza de minúcias de dar inveja, vou tentar descrevê-lo, desde que a memória não me traia totalmente (ai, ai, ai). Segundo ela, outro dia ao chegar à sua casa acompanhada pelo marido, a noite já vinha alta e uma escuridão tomava conta da varanda onde se encontrava a porta de entrada.  Revirou a bolsa em busca da chave e nada, perguntava-se a todo instante onde haveria de tê-la colocado, pois era ela a responsável por guardá-la. Conhecedora das distrações que vinham lhe acometendo ultimamente, tateou a fechadura e eis que sentindo a frieza do metal procurado, disse ao companheiro: - Hoje a lua é cheia ou minguante? Enquanto ele lançava o olhar para o céu, naquela noite maravilhosamente iluminada, a desmemoriada fingiu, espertamente, ter encontrado a chave entre seus pertences e tratou de abrir a porta rapidamente.  Assumir a falha? Nunca! - contou faceira - o segredo é jamais dar bandeira!
Volto para casa ciente que os percalços de cada fase da vida são vencidos, mais facilmente, quando não nos permitimos passar por elas como apáticas criaturas, mas imbuídos de um espírito bem humorado rir, então, um pouco de tudo.






Direitos Reservados

9 comentários:

✿ chica disse...

Belas constatações as tuas! O bom humor e o modo de encarar a vida fazem a diferença! beijos, desejando, desde já. um abençoado e FELIZ NATAL! chica

ᄊム尺goん disse...

Ah hoje queria uma Maria dessas
perto de mim. ando carente de rir-me.

gosto muito do que escreve.

um beijo


Monnie Lobo disse...

Adorei a história :D

Vera Lúcia disse...


Olá Néia,

Adorável leitura.
Sábio conselho desta senhora. O melhor mesmo é não dar bandeira-rsrs.

Desde já, desejo-lhe uma maravilhoso Natal junto aos seus entes queridos e um Novo Ano recheado de inspiração, alegrias, paz e sonhos realizados.

Felizes festas!

Beijo.

Clau disse...

Oi Néia :)
D.Maria é sensacional,se saiu muito bem...
Eu quero ser igual a ela quando chegar na 3ª idade.Não quero ser uma criatura apática.
Adorei o post.
Bjs \o/

Maria Célia disse...

Olá Néia
Muito bom o caso da D.Maria, esperta ela, hein.
Hilário o episódio.
Beijo.

Camila Monteiro disse...

Hahahahaha perfeito disfarce!
Morri de rir dela! Envelhecer sabiamente é um segredo que poucos descobrem! Kkk

Vivian Fernandes de Goes disse...

Bom dia,Néia!!

Bah!rsrs
O bom humor faz, com certeza, toda a diferença!!!rsrs
Mas estes lápsos de memória podem acontecer antes da melhor idade chegar...quando estamos cansadas aprontamos cada uma...rsrs
Deixo meu beijo e meu carinho!! E votos de uma Feliz Natal e um Próspero Ano Novo!!!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Que neste Natal,
diante das pessoas que amamos,
possamos ofertar a elas,
o melhor presente
que desejassem receber:
Nossa vida...
Nosso carinho...
Nosso coração.

Para quem crê na vida,
Natal se faz a cada dia.
Que assim seja o Natal
Em tua vida.

Aluísio Cavalcante Jr.