8 de jul de 2014

Louvor


     Sofre-se por tantas bobagens, chora-se por pequenas contrariedades e somente no momento em que uma doença grave, própria ou de alguém da família, ameaça de fato a vida, então se percebe que os dias podem ser mais bem vividos, agradecidos e isentos de lamentos.




Direitos Reservados

8 comentários:

Carol Naiara disse...

O ser humano só percebe o quanto vale a vida,ou alguém nela quando há chance de perde-la.
Infelizmente é isso que acontece.
Muito sucesso pra ti <3
Bjj

✿ chica disse...

Grande verdade essa! Temos que viver bem sempre, dar-se conta disso! bjs,chica

Luis Fellipe disse...

Infelizmente muitas vezes as pessoas precisam passar por alguma dificuldade para dar valor a vida e viver mais intensamente, admiro quem sabe como viver sem precisar sofrer antes! Temos que viver um dia de cada vez como se nunca fosse acabar.

Muito bonito texto, se você poder dar uma visita ao meu blog ficarei muitoo grato! até mais :)

http://present-day12.blogspot.com.br/

Maria Célia disse...

Puxa, Néia, palavras muito bem escritas, é isto mesmo.
Beijo

Camila Monteiro disse...

Caraca! Enorme sacudida. Muito bom.
Concordo com vc. Beijos

Sotnas disse...

Olá Néia, e que tudo esteja bem contigo!

Pois é prezada Néia, o ser humano ao longo de sua existência evoluiu, mas somente o egoísmo, alguns mais outros menos, e existem aqueles que se esforça para não serem tomados por tal sentir, poucos se aproximam do êxito, é uma pena, pois nesse passar de tempo possuído por tão mesquinho sentir, o homem nem vive, bem como não deixa viver!

E assim eu por cá deixo além de meu rastro, eu deixo também meu agradecimento por tuas gentis visitas e amizade e por compartilhar sempre tão belos pensamentos, e meu desejo para que seja sempre deveras intenso e feliz o teu viver, um grande abraço e até mais!

Reflexo d'Alma Fase 2014 disse...

Lindo pensamento.
Bjins
CatiahoAlc./ReflexodAlma

Suzy Rhoden disse...

Mais uma de suas citações perfeitas, Néia! Penso exatamente assim! A lamúria, geralmente, é por efemeridades, banalidades. Interessante é que, na hora da tragédia, finalmente se aprende a viver e a valorizar o que se tem! O problema é que pode ser tarde demais para resgatar o que não se viveu por anos... Interessantíssima a reflexão!

Beijos