8 de ago de 2016

Garoa



        A manhã começou com uma garoa úmida cobrindo essa minha pequena cidade, até parece que está ainda mais, agradavelmente, silenciosa. Não ouço sequer os passarinhos fazendo sua costumeira algazarra, nem mesmo o vendedor de verduras atreveu-se a sair de casa, sinto falta do seu grito anunciando as ofertas de toda segunda-feira. Um vento brando balança os galhos do abacateiro da vizinha trazendo folhas e flores nas minhas calçadas, uma bagunça perfumada. E a vida segue, calmamente, o seu curso.





Direitos Reservados

2 comentários:

Maria Célia disse...

Que lindo Néia, você escreve muito bem, adoro ler você.
Só uma curiosidade- qual é mesmo sua cidade?
Beijo

Aleatoriamente disse...

Nélia passeando na net entrei aqui, gostei e fiquei.
Passei com você nesse texto lindo.
Abraço.